Sobre

Comunicação


Simes finaliza blitze em hospitais de Colatina
21/04/2018 - 14:54

O Sindicato dos Médicos do Espírito Santo finalizou o seu cronograma de blitze pelos municípios e hospitais das regiões Norte e Noroeste do Estado. Na manhã deste sábado (21), o Simes e o CRM-ES visitaram os hospitais Sílvio Avidos e a Maternidade São José, na cidade de Colatina.

Hospital Sílvio Avidos
No Hospital Sílvio Avidos, o Simes apontou um cenário realmente caótico para os pacientes que precisam utilizar o serviço público e profissionais que ali atuam. “Colegas médicos com escalas furadas, sobrecarga de trabalho. É inadmissível que um médico tome conta, sozinho, de 60 crianças.”, afirmou o presidente do Simes, Dr. Otto Baptista.

Além disso, o Pronto Socorro do Hospital Sílvio Avidos conta com um clínico-geral e um cirurgião pra atender toda a demanda, o que, nessas condições, é impossível. “Um ambiente de trabalho desestruturado, sem equipamentos. Médicos tendo que buscar vaga pra pacientes, fazendo papel de assistente social. É por essa razão que muitos médicos não ocupam postos de trabalho neste hospital.”, acrescentou Baptista.

O presidente do CRM-ES, Dr. Carlos Magno, também acompanhou a vistoria. “Um ambiente amplamente inviável pra exercer a medicina. Profissionais médicos clínicos atendendo pacientes de pediatria, é um verdadeiro caos”, encerrou Carlos Magno.

Maternidade São José
A segunda unidade hospitalar vistoriada em Colatina foi a Maternidade São José, uma entidade filantrópica com estrutura ligada à UNESC. “A maternidade e centro cirúrgico contam com ótima organização, bem equipadas para atender às demandas da população de Colatina com tecnologia de ponta”, apontou o presidente do Simes, Dr. Otto Baptista.

Conforme a comitiva pôde observar, a capacitação técnica e estrutura administrativa são fundamentais para o bom atendimento de qualidade à população. “Saúde não é brincadeira e a equipe inter profissional da Maternidade São José mostra que o SUS pode ser muito bem praticado e utilizado pelos usuários, sem nenhuma dificuldade, desde que bem estruturado.”, finalizou o presidente Otto.