Sobre

Comunicação


Gestão em Cariacica afeta atendimento médico à população
06/03/2018 - 15:17

Fonte: G1, do Espírito Santo

O município de Cariacica está com defasagem de 150 médicos para atender adequadamente a população nos serviços de saúde pública, afirmou a prefeitura nesta segunda-feira (5). A administração disse que um concurso será realizado em breve, mas não deu prazos. A reportagem percorreu postos de saúde na cidade e encontrou muitas filas e moradores insatisfeitos com a demora ou a falta de atendimento.

A dona de casa Jurema Sutil chegou no posto de saúde do bairro Santana às 23h50 deste domingo (4). Ela disse que só chegando com bastante antecedência, teria a garantia de conseguir atendimento nesta segunda-feira. "Tive que fazer isso porque é o único jeito de conseguir uma ficha", disse.

A aposentada Emília Moreira, de 65 anos, também chegou ao posto durante a madrugada. "Eu comi só uma maçã que uma menina trouxe e deu para a gente comer, cheguei uma da manhã. Só vou mostrar exames que a médica pediu", contou.

A preocupação desses moradores é não conseguir uma senha para ser atendido. Às segundas e às quartas-feiras são distribuídas apenas 12 para consulta com clínico geral e 13 para pediatra. Era a mesma médica que fazia os dois atendimentos nesta segunda.

Mesmo assim, "madrugar" ainda não é a garantia de conseguir atendimento. Depois que as senhas foram distribuídas, muitos pacientes que chegaram ao local antes do nascer do sol ficaram sem.

A reportagem procurou a prefeitura e a secretária municipal de Saúde, Stéfane Macedo, explicou que Cariacica não tem médicos suficientes para atender a população. Ela disse que haverá um concurso, mas não há prazos.

"Essa é a dificuldade que a gente vem enfrentando desde o ano passado. Nós já convocamos mais de 300 profissionais médicos, hoje preciso preencher 150 vagas", explicou a secretária.

Sem vacinas

Na unidade de saúde de Nova Canaã também há o problema da falta de médicos, mas segundo os moradores, um outro problema também está gerando muita preocupação: não está ocorrendo a aplicação de vacinas.

"Já tem dois meses que as minhas netas não tomam as vacinas, está tudo atrasado nos cartões de vacina. Meu genro também está aguardando há dois anos por uma consulta de especialidades, e até hoje não conseguiu", explicou a auxiliar de serviços gerais Daiane Gomes.

Sobre o problema das vacinas, a explicação da prefeitura é de que a funcionária que aplica as doses está de licença maternidade. A Secretaria de Saúde também pretende contratar mais técnicos para fazer esse serviço.

$('body').on("click","a,img", function (e) { //e.preventDefault(); alert('You Clicked Me'); });