Sobre

Comunicação


Campanha Novembro Azul alerta sobre a prevenção do câncer de próstata
06/11/2017 - 14:36

Neste mês, se inicia a campanha: Novembro Azul. O objetivo é informar e conscientizar sobre o combate ao câncer de próstata. O mês foi escolhido porque no dia 17 de novembro é o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata. A Federação Nacional dos Médicos (FENAM) também apoia essa causa.
 
O presidente da FENAM, Dr. Jorge Darze, considera significativa essas campanhas, porque promovem debates sobre o tema. “Toda campanha na área da saúde pública é sempre muito importante, elas têm uma função social de grande relevância no sentido de divulgar e elevar a consciência das pessoas sobre a questão, sendo fundamental para melhorar a saúde da população”, diz.
 
Darze afirma que essas ações de prevenção auxiliam em duas frentes, porque evita gastos públicos com o tratamento da doença em casos avançados e garante a cura e saúde dos homens.
 
De acordo com o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), o câncer de próstata é considerado o segundo mais comum na população masculina em todo o mundo, ocupando a 15ª posição em mortes por câncer, representando cerca de 6% do total de mortes por câncer no mundo.
 
Em 2016, o instituto estimou 61.200 novos casos da doença no Brasil. Sendo que em 2013, o Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DataSUS), registrou 13.772 mortes.  Por isso, é necessário ações e campanhas para divulgar informações sobre a doença, como o Novembro Azul.
 
Esse tipo doença, segundo o INCA, é considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. O aumento observado nas taxas de incidência no Brasil pode ser parcialmente justificado pela evolução de exames, pela melhoria na qualidade dos sistemas de informação do país e pelo aumento na expectativa de vida.
 
O instituto também considera que para a prevenção da doença é fundamental ter uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura, principalmente as de origem animal. Recomenda ainda a prática de atividade física de no mínimo 30 minutos diários, manter o peso adequado à altura, diminuir o consumo de álcool e não fumar.
 
Exames
 
Para o Uro-Oncologista, Dr. Diogo Mendes, do Hospital Santa Luzia de Brasília (DF), o ideal é conscientizar a população masculina da importância de cuidar da saúde. “Desde criança nós devemos incentivar os meninos a irem ao médico, não adianta convencer o homem de se cuidar só na velhice”, relata.
 
Dessa forma, Mendes considera importante criar um hábito na população masculina mundial, pois não é só um problema do Brasil. “O homem não tem costume de se cuidar, é necessário a quebra desse paradigma social”, declara.

O especialista considera que todos os exames devem ser feitos em conjunto e que é recomendado a partir dos 40 anos para homens com caso de câncer na família, e a partir dos 45 anos para os que não têm. “O exame de toque não é isolado, ele faz parte de um conjunto de fatores, são várias as ferramentas para diagnosticar o câncer, que é uma doença maligna que não dá sintomas”, explica. 
 
Ele explica ainda que há métodos diferentes para verificar e confirmar a doença. “Os exames são divididos em três, mas um complementa o outro, que são: um para avaliar o histórico clínico, depois os exames laboratoriais, que são o ultrassom e o PSA [Antígeno Prostático Específico], e por fim o toque retal”, completa.

 
Fonte: FENAM