Sobre

Comunicação


Neste dia Dia do Trabalho, FENAM lembra dos problemas enfrentados pela categoria médica
02/05/2017 - 14:59

Foto: Fenam

A diretoria da Federação Nacional dos Médicos (FENAM) celebrou este Dia do Trabalho com uma caminhada e visitas a dois grandes hospitais do Rio Grande do Norte (RN). Durante a manhã a equipe percorreu as avenidas da cidade pedindo mais atenção aos governantes com relação à saúde pública e aos médicos brasileiros.

O presidente dr. Otto Baptista, se posicionou contra a reforma previdenciária, (PEC 287). “Vejo como uma vergonha. Os médicos são fortemente afetados por essas mudanças e precisam dialogar com os parlamentares e destacar as especificidades de profissão”.

Dr Geraldo Ferreira, secretário de finanças da FENAM e presidente do sindicato dos médicos do Rio Grande do Norte, percorreu todo o trajeto relembrando todas as lutas enfrentadas pelos profissionais de saúde. “Não podemos aceitar que o governo destrua ainda mais nossos direitos. Estamos aqui hoje lembrando esta importante data e manifestando por melhores condições de trabalho para nossa categoria”.

De frente ao hospital Walfredo Gurgel pacientes e funcionários aplaudiram a ação e também demonstraram a necessidade de maior atenção à saúde pública do Brasil. O encerramento das comemorações foi feito no hospital psiquiátrico João Machado, onde a direção também ouviu os questionamentos de alguns servidores.

 Saiba como surgiu o feriado do dia 1° de maio

O Dia do Trabalho é uma homenagem a uma greve ocorrida em Chicago (EUA) no ano de 1886. A data foi marcada pela reunião de milhares de trabalhadores que reivindicavam a redução da jornada de trabalho de 13 para 8 horas diárias.

Dias depois, em  4 de maio de 1886, outra manifestação aconteceu em Chicago e resultou na morte de policiais e protestantes. O evento também foi um dos originários do Dia do Trabalho e ficou conhecido como Revolta de Haymarket. Três anos mais tarde, em 1889, operários que estavam reunidos em Paris (França) decidiram que a data se tornaria uma homenagem aos trabalhadores que haviam feito greve três anos antes. Em 1891, franceses consagraram a data de luta por jornadas até oito horas diárias.

No ano seguinte, milhões de trabalhadores da Alemanha, Áustria, Hungria, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, Holanda, Grã-Bretanha, Itália e Suíça fizeram valer as decisões do Congresso de 1889. O dia 1º de maio foi marcado por uma greve geral, onde os operários desfilaram pelas ruas de suas cidades para mostrar apoio à causa trabalhista. O dia passou a ser chamado de “Dia do Trabalho” e passava a comprovar o poder de organização dos trabalhadores em âmbito internacional.

Dia do Trabalho no Brasil

A chegada dos imigrantes europeus ao Brasil trouxe ideias sobre princípios organizacionais e leis trabalhistas, já implantadas da Europa. Os operários brasileiros começaram a se organizar. Em 1917 aconteceu a Greve Geral, que parou indústria e comércio brasileiros. A classe operária se fortalecia e, em 1924, o dia 1º de maio foi decretado feriado nacional pelo presidente Artur Bernardes.

Além de ser um dia de descanso, o 1º de maio é uma data com ações voltadas para os trabalhadores. Não por acaso, a Consolidação das Leis de Trabalho (CLT) no Brasil foi anunciada no dia 1º de maio de 1943.

Fonte: FENAM com informações do Portal Brasil e EBC

$('body').on("click","a,img", function (e) { //e.preventDefault(); alert('You Clicked Me'); });