Sobre

Comunicação


Nasce a Confederação Nacional dos Médicos
28/11/2016 - 16:04

Foto: Fenam                    Fonte: Camila Borges | Fenam

Um momento histórico para o movimento sindical brasileiro marcou a sexta-feira, 24 de novembro de 2016, durante a Reunião do Conselho de Representantes da Federação Nacional dos Médicos, realizada em Natal. Após dois dias de discussões com vários sindicatos médicos brasileiros acerca da atual situação da saúde, dos direitos médicos, do movimento médico, e das lutas em defesa da categoria médica, cria-se a Confederação Nacional dos Médicos (CNM).

A Confederação irá representar os mais de 400 mil médicos Brasileiros. A Confederação é o topo da representação sindical de uma categoria, sendo única, por obrigação da unicidade prevista em lei, responderá nacionalmente pelos médicos Brasileiros. A Fenam defende e considera necessária a criação da Confederação para assegurar a força da categoria médica e defender os direitos do médico, segundo o presidente, Otto Baptista. ''A criação de uma confederação fortalece a base, fortalece os sindicatos e isso é muito importante. Pelo o tamanho, a grandeza e o número de médicos brasileiros, precisamos ter a nossa confederação, a CNM, Confederação Nacional dos Médicos'', explicou.

Representantes dos sindicatos participantes expuseram suas opiniões e participaram dos debates e votações sobre a criação da maior entidade representante da categoria médica do país. A classe médica brasileira terá uma confederação ativa, participativa, democrática, com espaço para o debate de pautas e verdadeiramente unida. ''Teremos uma representação que tem o respaldo jurídico para ir ao debate discutir ações judiciais. As pautas nacionais, o ato médico, a carreira médica, bem como o Piso e Consulta FENAM irão receber destaque e maior discussão'', destacou o presidente da Fenam.

Burocraticamente, uma confederação tem mais representatividade diante de decisões no Congresso Nacional, em fóruns, em congressos nacionais, regionais e também a nível internacional. ''Parabéns ao movimento médico, isso é fruto de um trabalho de união de todos os sindicatos médicos brasileiros em mais essa realização'', comemorou Dr. Baptista.

Para Geraldo Ferreira Filho, Secretário de Finanças da Fenam e presidente do Sindicato dos Médicos de Natal (SinmedRN), a criação da Confederação é um momento histórico. ''É um novo horizonte de negociação com ministério do trabalho, as instâncias de graus superiores de tribunais e congressos. Este é um momento histórico e vai unificar o movimento médico. A Confederação é nacional e o topo da cadeia sindical. A partir do dia da criação os médicos passaram a ter e contar com essa personalidade jurídica que efetivamente partirá para solicitar o registro sindical. Foi uma ocasião maravilhosa, de encontro, de decisões, de análises críticas da situação do país, da saúde, da educação, da sociedade, da distribuição de renda, todos tiveram a oportunidade de expor seus pensamentos'', disse Dr. Ferreira.

Segundo o advogado da Federação Nacional dos Médicos, Luiz Felipe Buaiz, a Confederação irá trazer um importante avanço para os profissionais médicos na conquista de uma efetiva representatividade. ''A Confederação tem o intuito de atender justamente as necessidades dos profissionais médicos no país. Além disso, foram criadas também duas federações que vão integrar futuramente essa confederação, justamente para se delinear todo o escopo desse sistema confederativo e solidificar a representatividade desses profissionais'', ressaltou Buaiz.

Jorge Darze, Secretário de Comunicação da Fenam e Presidente do Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro (SinmedRJ), considera a aprovação das propostas na reunião um avanço na luta de toda a população e em especial dos médicos. ''O conselho de representantes cumpriu o seu papel estatutário de trazer para o conjunto de sindicatos uma pauta importante, onde o debate que se produziu aqui trouxe efeitos importantes que serão agora materializados através das ações que a Confederação vai empreender por todo território nacional'', disse Dr. Darze.

O Secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Marlonei Silveira dos Santos, que pertence a Fenam desde 1985, não pode comparecer por motivos de força maior, mas o Sindicato dos Médicos de Caxias do Sul esteve muito bem representado pelo Dr. Francisco Malicheski, e após as decisões finais, o doutor Marlonei enviou sua mensagem aos colegas. ''Parabéns a direção da Fenam pela criação da Confederação Nacional dos Médicos. Sempre foi uma necessidade sem vícios partidários e ideológicos. Será uma entidade livre e forte. Viva a Fenam'', exaltou Dr. Marlonei.

A fundação da Confederação se deu a partir da Fenam e na ocasião foram criadas mais duas federações, a FIMB, Federação Interestadual de Médicos Brasileiros e a FIME, Federação Interestadual de Médicos.