Sobre

Comunicação


Confira as 5 dicas para organizar a mesa do consultório
11/08/2016 - 16:17

Foto: Imagem de Internet

Imagine estar prestes a iniciar o trabalho e se deparar com uma mesa cheia de papéis, canetas e outros objetos espelhados. Nesses momentos, colocar as coisas em seus devidos lugares faz o médico perder minutos preciosos do dia, que poderiam ser mais bem utilizados no atendimento aos pacientes. O que, para uns, pode parecer um mero detalhe, não é tão banal assim para outros. Muitos pacientes, ao entrarem na sala do médico e encontrarem a mesa bagunçada, podem se sentir inseguros. A lógica funciona da seguinte maneira: se o médico não organizar pequenas coisas, será capaz de encarar a grande responsabilidade que é cuidar da vida do outro? Para o leader coach João Ricardo Zimmermann, a organização do espaço contribui para a formação de uma opinião positiva. ''Quando o paciente chega e vê que a mesa do médico está bem organizada, a impressão que fica é a de uma pessoa competente, cuidados e rápida no atendimento. Isso traz confiança e segurança à pessoa que busca assistência médica'', explica.

A entrada e saída constante de pacientes é, na maiorira das vezes, a grande vilã da organização, mas a rotina agitada não deve ser um fator de acomodação. Conservar a mesa em ordem é um desafio que deve ser superado diariamente, principalmente no que se refere ao crescimento da produtividade. É importante encarar a mesa como o elemento por meio do qual é possível demonstrar profissionalismo, zelo consigo mesmo e interesse pelo bem-estar dos pacientes. Se você não consegue se organizar, a Revista DOC lista cinco dicas que vão te ajudar nessa missão.

1. APENAS O NECESSÁRIO

Antes de qualquer coisa, é importante definir o que será utilizado no dia a dia do consultório e deixar sobre a mesa apenas o que servirá para realização dos procedimentos. ''Ter muitos objetos em cima da mesa pode ser prejudicial para a manutenção do foco, desviando a atenção do médico para outras coisas menos importantes'', alerta Zimmermann. Papéis para receitas precisam estar próximos ao médico para que ele não perca tempo procurando. Lápis e canetas devem estar em portadores específicos e à vista, caso o profissional precise utilizá-los. É importante, também, não deixar instrumentos como estetoscópio e aparelho para medir pressão em cima da mesa, mesmo se usados com frequência. O que estiver sobrando deve ser guardado em outro lugar ou ir para o lixo, se o médico achar.

2. ORNAMENTAÇÃO

Quando o assunto é ornamento e decoração, as estratégias devem ser pensadas para deixar a mesa com um ar mais confortável e convidativo. NMas é preciso ter atenção ao excesso de objetos, que pode levar a uma desorganização total. ''Objetos pessoais na mesa dão muitos indícios sobre o perfil da pessoa. Se o médico possui porta-retratos com fotos da família, por exemplo, ele provávelmente vai passar uma imagem positiva, de alguém que valoriza as pessoas. Consequentemente, o paciente pode sentir mais segurança em colocar sua vida nas mãos desse médico'', explica o leader coach. Os objetos sobre a mesa devem ser simples e compactos. Modelos anatômicos, de acordo com a especialidade, costumam ser bem-vindos. O importante, aqui, é lembrar a velha máxima de que tudo em excesso é ruim, e que bom senso é primordial em qualquer área.

3. DE OLHO NA TECNOLOGIA


A tecnologia permitiu aperfeiçoar uma série de processos que antes eram feitos manualmente. Com isso, ganhou-se em otimização do tempo e resultados mais produtivos. É esse pensamento que o médico deve ter se quiser manter uma boa organização. Objetos como agenda de consultas, calendários e prontuários feitos de papel já estão sendo considerados ultrapassados, sendo, atualmente, substituídos por versões virtuais que podem ser acessadas do computador, smartphones ou tablets. ''Também é importante contar com softwares de maior confiabilidade disponíveis no mercado, fazer constantes atualizações, estar atento ao backup das informações e ter um computador que traga resultados rápidos, agilizando, assim, os processos internos da clínica'', destaca o especialista.

4. PAPÉIS EM ORDEM

Já é sabido por todos que a rotina de um consultório exige manipular papéis como receitas, pedidos de exames, prontuários e folhas de encaminhamento, entre outros. Para não ficar perdido no meio disso tudo, a dica é organizar os papéis em pastas de fácil acesso e, se possível, etiquetadas por tipo de documento e ordem de uso. Isso evita que documentos importantes se percam e otimiza a rotina do profissional. ''Deixa na mesa apenas o que for usar naquele momento. No caso dos prontuários, é importante que o médico já os deixe separados antes da entrada do paciente. Desse jeito, ele não terá que perder tempo procurando e vai passar uma boa impressão ao paciente'', orienta o especialista.

5. MATERIAIS DE DIVULGAÇÃO

Deixar os carões de visita, folders e outros papéis publicitários em cima da mesa é uma armadilha para quem quer se organizar. ''Existe um local correto para cada tipo de coisa. Nesse caso, os cartões de visita podem ficar expostos na mesa, de maneira organizada, para que o pacientepossa pegar'', sugere Zimmermann. Aqueles que são realmente úteis devem ficar em um único local, de preferência dentro de um porta-cartões e de uma maneira ordenada. O que for desnecessário deve ser jogado no lixo.

$('body').on("click","a,img", function (e) { //e.preventDefault(); alert('You Clicked Me'); });