Sobre

Comunicação


Prorrogação do Mais Médicos é permeado de irregularidades, segundo o presidente da FENAM, Otto Baptista
12/07/2016 - 15:09

Foto: Agência Porém

A Federação Nacional dos Médicos (FENAM) lamenta a decisão da prorrogação do Programa Mais Médicos (MP 723/2016) por mais três anos e lembra que, em audiência realizada no dia 19 de maio em Brasília, o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, prometeu analisar a garantia dos direitos trabalhistas aos participantes do Mais Médicos. ''A aprovação da medida é uma grande surpresa para todos, devido à continuação das diversas irregularidades que permeiam desde o início do programa'', afirmou o presidente da FENAM, Otto Baptista.

Hoje, o Brasil paga ao governo Cubano um bilhão de reais pela importação de 10 mil profissionais. São vários os fatores que fazem alguns países não aderirem ao programa. O abandono dos médicos participantes, as diferenças culturais e a falta do entendimento do idioma, algo que tem gerado avalições errôneas aos pacientes. Para FENAM, a prorrogação do Mais Médicos reproduz erros do passado e não ajuda a resolver os problemas da saúde pública no Brasil. ''É lamentável que, mesmo em um momento de mudança, a ideia ainda seja trazer intercambistas que não contribuem em nada para a saúde pública Brasileira'', finaliza Otto.

A Comissão Mista da Câmara e Senado formada para analisar a medida aprovou o parecer do relator Humberto Costa (PT-PE) na última quarta-feira (6). A MP prolonga por três anos o prazo de dispensa da revalidação do diploma, para o caso de médicos formados no exterior, e prorroga também por três anos o visto temporário dos médicos estrangeiros participantes do programa.

$('body').on("click","a,img", function (e) { //e.preventDefault(); alert('You Clicked Me'); });